Hogwarts Revelium
MSN GROUP
group1378820@groupsim.com
15 de Outubro
sexta-feira
a temperatura agradável permite que os habitantes de Hogwarts andem com roupas leves. Durante o dia o céu é claro e bonito, fazendo com que os jardins fiquem lotados por alunos em busca de um banho de sol. A noite o céu é estrelado e há um grande movimento de alunos em direção a Hogsmeade por causa de uma festa que o diretor permitiu a presença destes.
AÇÕES:
- aula de aritmancia para o 7° ano
- aula de poções para o 6° ano
- festa no Pub MixysBars, em Hogsmeade




Últimos assuntos
» Bate-Papo.
Dom Jul 17, 2011 4:17 pm por Dominic Harvey

» 15 de Outubro - Noite
Seg Jun 27, 2011 11:43 am por Lucca Ragazzi

» Pegunta idiota, Resposta cretina...
Dom Jun 19, 2011 11:16 pm por Ethan Miller

» Confesso que...
Ter Jun 14, 2011 5:52 pm por William Kane

» 15/10- Estrada de Hogsmeade-Tarde
Dom Jun 12, 2011 3:28 am por Rosalie Marie Stewart

para parceria,
entrar em contato com:
hogwarts.revelium@hotmail.com

02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Ir em baixo

02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Karl Engel em Dom Out 10, 2010 10:44 pm

Narração
Pensamento
-Fala

Ele caminha para a sala do diretor, diz a senha conseguida com um dos professores, alegado o motivo da urgência do pensamento para falar com o diretor. Sobe as escadas depois do gárgula e então bate a porta do diretor.

Quando a permissão e concedida, ele que vestido está em no uniforme mais longo devido a agradável temperatura da tarde, diz ao diretor.

-Com licença, senhor diretor, queria lhe entregar um pedido formal para uma pesquisa.

Estende com os olhos baixos em sinal de respeito, uma pequena carta de próprio punho, no qual o contéudo que pode ser lido é o seguinte.

Ao magnanimo diretor de Hogwarts.

Venho por meio desta, solicitar a possibilidade de verificar o item, chapéu seletor. Conforme citado em "Hogwarts uma história", o chapéu é capaz de produzir um item arquétipico, para os membros de cada casa, quando a crença inabalável ou necessária situação se faz presente.

A pesquisa se baseia em gerar esta crença inabalável, e como membro da casa Hufflepuff, ver se o item arquétipico da casa é gerado e portanto o fato se estende a ela.

Uma segunda possibilidade a ser explorada, seria separar os feitiços principais da composição dele. Como foco de sua especialidade, as possibilidades de aprendizagem seriam muito proveitosas.

Atenciosamente

Alunus Lumini Engel, Karl. Hufflepuff 6º ano
avatar
Karl Engel
Hufflepuff
Hufflepuff

Mensagens : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Joseph Lawrence em Sex Out 15, 2010 3:22 am

Gabinete do Diretor,
02 de setembro, tarde.


O sol apontando no horizonte indicava o nascer de um novo dia, era fraco, porém belo. O frescor natural das horas matutinas era agradável, o que deixava as longas vestes de um bruxo velho confortáveis sem o calor excessivo e, com isso, permitia uma caminhada sobre os gramados verdes do castelo. Era muito cedo, sendo realista, era extremamente cedo para encontrar qualquer alma viva (ou até mesmo morta, diga-se de passagem) vagando pelos jardins, murmurando sons ou apenas produzindo-os com o arrastar de seus passos. Aproveitava a só uma das poucas mais oportunidades de deparar-me com um local tão extenso impregnado em silêncio sepulcral, o que ocasionava fascínio e, conseqüentemente, tornava-o melancólico pelos mesmos motivos. Não podia negar que a quietude me agradava, mas não era capaz de dizer que assim preferia, até porque Hogwarts não seria Hogwarts sem os murmúrios inteligíveis de seus estudantes e eu amava-a por ser necessariamente assim.

Quando a caminhada me cansou, resolvi retornar aos meus aposentos, não era mais jovem para abusar do meu físico e também não tinha tempo de sobra ao meu deleite. Começo de ano letivo era trabalhoso, tomemos como exemplo a noite anterior, em que uma guerra de comida se instalara sem consentimento e que tomara grandes proporções em questão de minutos e, segundos após, eu estava recoberto de molho e cheirando a espaguete, o que me obrigou a dar a minha primeira repreensão. Era tempo recorde, geralmente estas vinham no dia sucessor à seleção dos novatos, porém algo me dizia que os ânimos de alguns alunos estavam no auge.

Uma batida leve na porta fez meus pensamentos esvairarem, olhei de relance para o relógio e o tempo parecia ter se acelerado em uma velocidade impressionante, as horas pareciam cada vez mais curtas de acordo com o meu tempo de envelhecimento. Não curtas no sentido de limitação de percepção, mas sim em movimentos não tão velozes, pois a inteligência ou conhecimento adquirido não são desgastados do mesmo modo que o físico de uma pessoa.

- Entre – disse em um murmúrio alto o suficiente para que os ouvidos que se encontravam do lado de fora o percebesse. Um semblante reconhecível passou pelas rústicas portas do gabinete e a face de Engel foi capaz de me causar uma leve surpresa. Receber visitas logo no primeiro dia na após a formalidade do jantar que dá as boas vindas aos novatos alunos e aos veteranos estudantes de Hogwarts não era considerado um fato comum, costumava levar um tempo até os jovens começarem a querer me consultar ou pedir desculpas por suas rebeldias e descumprimentos às tão repetidas regras. Seria um ano turbulento.

-Com licença, senhor diretor, queria lhe entregar um pedido formal para uma pesquisa. – Encarei-o brevemente antes de receber de suas mãos uma carta. O motivo do lufano ao assegurar-se de tal formalidade por meio de papel me fugia da compreensão. Os segundos dias na Escola de Magia eram sempre aqueles que colegas se reuniam para atualizar os grandes acontecimentos das férias.

“Ao magnanimo diretor de Hogwarts.
Venho por meio desta, solicitar a possibilidade de verificar o item, chapéu seletor. Conforme citado em "Hogwarts uma história", o chapéu é capaz de produzir um item arquétipico, para os membros de cada casa, quando a crença inabalável ou necessária situação se faz presente.
A pesquisa se baseia em gerar esta crença inabalável, e como membro da casa Hufflepuff, ver se o item arquétipico da casa é gerado e portanto o fato se estende a ela.
Uma segunda possibilidade a ser explorada, seria separar os feitiços principais da composição dele. Como foco de sua especialidade, as possibilidades de aprendizagem seriam muito proveitosas.

Atenciosamente
Alunus Lumini Engel, Karl. Hufflepuff 6º ano”

Desviei os olhos das palavras elaboradamente escolhidas para este determinado momento. Não podia negar que a pesquisa era algo muito curioso e pude deduzir que faria parte da realização pessoal do garoto. Respirei fundo antes de deixar um sorriso bondoso dizer quase por si próprio a resposta. – Não vejo problema em saciar sua curiosidade, Sr. Engel, porém o único imprevisto que poderemos ter será o Chapéu Seletor não estar de acordo com sua reivindicação. Contudo, creio que este gosta suficientemente de atenção para recusar seu pedido. - De uma prateleira próxima, retirei o Chapéu do vidro lustroso e o coloquei delicadamente nas mãos do lufano. – Tome cuidado com ele, Engel. – e voltei a sentar em minha cadeira, apoiando as mãos na mesa. – Ah! Pode realizar sua pesquisa aqui mesmo, se desejar, ou pode usar uma das salas vazias do terceiro andar.
avatar
Joseph Lawrence
Professor
Professor

Mensagens : 110

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Karl Engel em Ter Out 26, 2010 1:25 am

Narração.
-Fala.
-Pensamento.

Vendo o parecer do professor ser favorável, ele sorri tranquilo e diz:

-Obrigado diretor. Se puder ser aqui eu ficaria grato, uma vez que a presença de tão versado bruxo é sempre um efeito tranquilizador, em qualquer experiência.

Olha para ele e fala.

-Senhor diretor, antes de elaborar esta ação eu devo dizer que pelos regulamentos da lei mágica vigente, não existe qualquer impedimento para a ação que vou utilizar, uma vez que é uma atitude minha para meu livre arbítrio, sem interferência externa.

Coloca a varinha contra a fronte e diz:

-Imperius!

E então ordena a si.

-Manifeste, pela extensão desta experiência as características prioritárias do arquétipo da casa Hufflepuff que o chapéu viu em meu inconsciente potencial como elementos conscientes conectados a minha mágica natural. - agora ele diz ao diretor - - Se a presença de alguém com o conhecimento nesta instituição for incomoda senhor, me coloco a disposição para a ser oblivado deste conhecimento pelo senhor ao fim do procedimento.

Ele observa o aparentemente inerte chapéu que repousa agora na mesa e então fala próximo dele.

-Você existe por quase toda a extensão da História desta Escola, e seus dons clarividentes são retratados em suas músicas através dos anos, pelos olhos, ouvidos e versos do que foram testemunhas.

-Então se houver um motivo, qualquer que seja no futuro próximo para que eu seja útil ou digno com o que você viu com no meu subconsciente, confie o conhecimento do item arquétipico a mim e a casa onde pertenço, pelas magias ancestrais que te constituiram.


Aguarda então se existe algo a ser ouvido, pelo diretor ou pelo chapéu, antes de tentar colocar a mão nele.

Spoiler:
Off: Mil desculpas pela demora, dias de pesquisa. Embarassed
avatar
Karl Engel
Hufflepuff
Hufflepuff

Mensagens : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Joseph Lawrence em Sab Nov 13, 2010 5:49 pm

Gabinete do Diretor,
02 de setembro, tarde.
POST 02.


Confesso que a presença de Engel me surpreendera. Mesmo sabendo que o garoto era extremamente dedicado a sua curiosidade, não achei que ele me pediria algo tão cedo, logo no primeiro dia do ano letivo. Como toda volta, o primeiro dia era sempre aquele que ninguém iria prestar atenção em alguma aula, então com o passar dos anos eu aprendi que seria melhor abolir as aulas e retomá-las só no próximo dia, se bem que para captar extrema atenção, o correto seria semanas depois, porque assim grande parte das novidades já teriam sido todas compartilhadas. Ou não. Ainda existem aqueles que passam o ano inteiro conversando. Ao terminar de ler o bilhete e refletir por meros segundos, disse-lhe que não via problema em conceder minha sala para a realização da tal pesquisa, mas que se fosse para o seu conforto poderia utilizar uma sala vazia do terceiro andar.

-Obrigado diretor. Se puder ser aqui eu ficaria grato, uma vez que a presença de tão versado bruxo é sempre um efeito tranquilizador, em qualquer experiência.

Balancei a cabeça, dispensando os agradecimentos e elogios desnecessários. Não me importaria se ele tivesse dado preferência à sala vazia, já que talvez ele desejasse descobrir algo pessoal, particular. Contudo, admito que minha vontade de acompanhar a experiência era notória, afinal eu era um homem submisso a minha própria curiosidade, assim como o lufano que viera a minha procura.

-Senhor diretor, antes de elaborar esta ação eu devo dizer que pelos regulamentos da lei mágica vigente, não existe qualquer impedimento para a ação que vou utilizar, uma vez que é uma atitude minha para meu livre arbítrio, sem interferência externa. - Olhei-o, agora mais curioso ainda, tentando imaginar o que o levou a dizer que não iria fazer nada fora da lei mágica. Se era por livre arbítrio, não havia o que contestar. O garoto apontou a varinha para o chapéu seletor: - -Imperius! - Hm, uma maldição imperdoável. Disfarçadamente segurei minha varinha por precaução, uma vez que os intolerantes do Ministério faziam parte do grupo “atacar, depois perguntar”. -Manifeste, pela extensão desta experiência as características prioritárias do arquétipo da casa Hufflepuff que o chapéu viu em meu inconsciente potencial como elementos conscientes conectados a minha mágica natural. – ele ordenou para o chapéu em suas mãos. Inconscientemente inclinei-me sob a mesa, os olhos atentos para o que viria a seguir.

- Se a presença de alguém com o conhecimento nesta instituição for incomoda senhor, me coloco a disposição para a ser oblivado deste conhecimento pelo senhor ao fim do procedimento. – tamborilei os dedos na mesa, pensando sobre a sugestão. Nenhuma ação até agora tinha me incomodado, não tinha motivos para fazê-lo esquecer-se do que estava acontecendo aqui.

– Continue, Karl. Se alguma complicação surgir posteriormente, me disponho a resolvê-la. – então ele pousou o chapéu seletor sobre a mesa e falou com este, pedindo para ter revelado o item arquétipo referente à casa lufana. Fiquei em silêncio, e ao perceber que o garoto aguardava uma posição minha, acenei com a cabeça, dizendo para que o mesmo seguisse em frente.

-----
OFF: Desculpe-me pela demora D: mudou de periodo, mas podemos continuar aqui atemporalmenteo quanto for necessário (:

avatar
Joseph Lawrence
Professor
Professor

Mensagens : 110

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Karl Engel em Sab Dez 11, 2010 3:15 pm

E então uma taça surge. Uma taça dourada de firmes linhas e o símbolo do animal correspondente ao elemento terra da simbologia da escola.


-Uma taça? Não posso dizer que não é simbólico... Só falta a varinha, o atame e a moeda, para os símbolos do mago arquétipo.

-Basta agora descobrir o propósito que o chapéu me apresentou para com ela. Um enigma interessante, mas isto me faz me lembrar de algo importante. Poções podem ser ensinadas, em teoria, para trouxas não podem, professor? Pois como uma das artes que não usam varinha, qual é realmente a magia envolvida que não seja o padrão harmônico das combinações das energias dos componentes?

-Poderia ela ser ensinada como a homeopatia trouxa, e enquanto sempre teriam os céticos que duvidariam, o que é normal, pense na quantidade de vidas que poderiam ser salvas ou melhoradas, com poções que para nós são simples, além do que o segredo estaria a salvo, pois algumas vezes o melhor esconderijo é o mais óbvio.


Sente o cheiro devagar da taça... Antes de continuar, seu olhar parece curioso, e então ele fala.

-Deseja a taça professor? Ou posso utiliza-la para pensar em mais coisas para pesquisar? E obrigado pela oportunidade. Foi no mínimo esclarecedora, até agora.
avatar
Karl Engel
Hufflepuff
Hufflepuff

Mensagens : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Joseph Lawrence em Ter Dez 14, 2010 9:48 pm

Gabinete do Diretor,
02 de setembro, tarde.
POST 03.


Observava atentamente o que ali acontecia. Após o garoto pedir ao chapéu que revelasse o tal item tão desejado através da maldição imperdoável Imperius, coisa que poderia trazer conseqüências desagradáveis por ser como o próprio nome diz, imperdoável. Poderia tê-lo feito parar por ai, mas como a maioria das vezes, minha curiosidade sobressaiu ao bom senso. Alem do mais, eu tinha dificuldade de negar coisas que eu mesmo me descobria interessado em ter feito em algum momento, mas por diversas ocasiões inesperadas, deixei passar a oportunidade. Via em Karl, um pequeno “eu” somado a sua personalidade. Tinha a mesma curiosidade insaciável em saber os mistérios de coisas aparentemente irrelevantes. Não que o tipo de pesquisa realizada nesse momento fosse irrelevante, mas tinha certeza que essa minha característica era encontrada em Engel.

- Uma taça? Não posso dizer que não é simbólico... Só falta a varinha, o atame e a moeda, para os símbolos do mago arquétipo. – ouvi-o dizer, levanto finalmente os olhos em direção a tal taça. Aproximei–me do garoto, olhando curiosamente para o objeto. A taça dourada esculpida detalhadamente brilhava encantadora, sem necessitar do reflexo de qualquer fonte de luz. - Basta agora descobrir o propósito que o chapéu me apresentou para com ela. Um enigma interessante, mas isto me faz me lembrar de algo importante. Poções podem ser ensinadas, em teoria, para trouxas não podem, professor? Pois como uma das artes que não usam varinha, qual é realmente a magia envolvida que não seja o padrão harmônico das combinações das energias dos componentes?

- Muitas perguntas seqüenciais, Engel. – sorri discretamente mediante a tanta informação que o aluno tinha ou raciocinara sobre – Primeiro, o chapéu não teve o propósito de te mostrar o objeto, creio eu, já que uma maldição foi imposta, impedindo que a ação fosse de livre arbítrio. – disse lentamente, organizando respostas para todas as perguntas. – E poções realmente não são mágicas em si, não são feitas de pura magia. Mas sim como você disse, são combinações harmoniosas, o que faria com que qualquer ser pensante possa juntar ingredientes e realizá-las. Porém, alguns ingredientes só fazem parte da realidade bruxa, o que as torna diferenciadas e especiais. – falei, acompanhando o raciocínio do lufano, que se demonstrava digno de admiração. Raras pessoas tentam chegar a tais conclusões. – Trouxas fazem poções a seu próprio modo. Ao menos, em minha concepção, remédios são uma forma de poção, bem distinta das nossas, se compararmos a maneira com que são feitas. Mas se pensarmos no efeito, algumas poções bruxas também possuem o objetivo de curar. – terminei, transparecendo uma leve satisfação com a conversa.

- Poderia ela ser ensinada como a homeopatia trouxa, e enquanto sempre teriam os céticos que duvidariam, o que é normal, pense na quantidade de vidas que poderiam ser salvas ou melhoradas, com poções que para nós são simples, além do que o segredo estaria a salvo, pois algumas vezes o melhor esconderijo é o mais óbvio. – Karl complementou, ainda não satisfeito. – Tecnicamente, sim. Mas os trouxas têm suas próprias crenças, e resolvem seus problemas empiricamente, deixando aquilo que chamam de “místico” para os loucos. Creio não ser o momento certo para tentar mudar a concepção de realidade dos seres não mágicos, mas quem sabe algum dia poderemos ver o nosso conhecimento compartilhado, não? – sorri novamente, imaginando como seria a mistura entre tão diferentes mundos.

- Deseja a taça professor? Ou posso utiliza-la para pensar em mais coisas para pesquisar? E obrigado pela oportunidade. Foi no mínimo esclarecedora, até agora. – pensei por um breve instante antes de tomar uma decisão. Certamente, Engel ainda estava sedento por conhecimento, mas não poderia permiti-lo a passear com a taça pelo castelo. – Terei que tomá-la de volta, como já deve ter presumido. Não seria de bom senso ter tão estimado objeto vagando livremente e desprotegido pela propriedade de Hogwarts – apontei para a mesma estante que anteriormente se encontrava o chapéu seletor – Deixe-a ali e estará autorizado a continuar sua pesquisa quando necessário. Apenas não cause grande alvoroço entre os alunos por ter conseguido este feito. Não quero complicações desnecessárias. – disse, encostando a varinha em minha cabeça para em seguida colocar a lembrança na penseira sobre a escrivaninha. – Creio que estamos finalizados por hoje. Estou disposto a futuras consultas.
avatar
Joseph Lawrence
Professor
Professor

Mensagens : 110

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Karl Engel em Sab Jan 22, 2011 8:25 pm

Faz conforme o solicitado com a taça, e então diz:

-Obrigado pela oportunidade diretor, até uma próxima ocasião, eu não direi sobre o ocorrido a menos que o senhor solicite.

-Com licença e um auspicioso dia.


Faz uma reverência e sai da sala, com novas idéias e planos em mente.
avatar
Karl Engel
Hufflepuff
Hufflepuff

Mensagens : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 02/09 | Gabinete do Diretor/Prof. de Feitiços - tarde

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum