Hogwarts Revelium
MSN GROUP
group1378820@groupsim.com
15 de Outubro
sexta-feira
a temperatura agradável permite que os habitantes de Hogwarts andem com roupas leves. Durante o dia o céu é claro e bonito, fazendo com que os jardins fiquem lotados por alunos em busca de um banho de sol. A noite o céu é estrelado e há um grande movimento de alunos em direção a Hogsmeade por causa de uma festa que o diretor permitiu a presença destes.
AÇÕES:
- aula de aritmancia para o 7° ano
- aula de poções para o 6° ano
- festa no Pub MixysBars, em Hogsmeade




Últimos assuntos
» Bate-Papo.
Dom Jul 17, 2011 4:17 pm por Dominic Harvey

» 15 de Outubro - Noite
Seg Jun 27, 2011 11:43 am por Lucca Ragazzi

» Pegunta idiota, Resposta cretina...
Dom Jun 19, 2011 11:16 pm por Ethan Miller

» Confesso que...
Ter Jun 14, 2011 5:52 pm por William Kane

» 15/10- Estrada de Hogsmeade-Tarde
Dom Jun 12, 2011 3:28 am por Rosalie Marie Stewart

para parceria,
entrar em contato com:
hogwarts.revelium@hotmail.com

03/09 | Sala Vazia - noite

Ir em baixo

03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Qui Jan 06, 2011 6:49 am


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°: 01
Aquele dia estava sendo um bocado estressante. Primeiramente, desde que acordei o clima está péssimo. Um calor infernal que torna quase impossível ficar nas áreas externas do castelo, principalmente no sol. Mas mesmo com o calor horrível, não deixei de fazer minha corrida matinal. Sempre tive costume de fazer algum exercício logo cedo, e essa tradição não ia acabar só porque estava calor, afinal eu tenho que manter a boa forma de algum jeito.
Não acordei muito tarde e logo coloquei vesti um short e uma blusa de exercícios e coloquei um par de tênis no pé. Arrumei-me rapidamente e sai para tomar o café da manha antes de ir correr. O que eu mais gostava de acordar cedo era que o salão principal estava vazio na maioria das vezes.
Tomei um café da manhã leve, baseado em pão integral com geléia e um pouco de suco. Logo depois que terminei meu café a manha segui para a minha corrida que tomou a maior parte da manhã.
Depois de uma longa e cansativa corrida, voltei para o dormitório e fui direto para um banho. Afinal, não era agradável o estado que eu estava. Pelo contrario, era um tanto quanto nojento. Assim que fiquei limpinha me arrumei para assistir a aula de poções. Peguei todo meu material e fui direto para a aula.
Como sempre minha aula preferida passou rapidamente. Algumas vezes eu chegava a pensar em ter aula o dia inteiro de poções. Era difícil me cansar na aula. Mas como nada no mundo é perfeito, tive que me contentar com aquela aula.
Assim que a aula acabou senti agradecida por não ter durado muito, afinal eu só tinha tomado café, feito exercício e ainda não tinha comido nada. Ou seja, corri direto para o salão principal para conseguir comer algo. E para meu desespero aquele salão estava abarrotado de pessoas. Toda aquelas pessoas juntas em um único espaço, respirando o mesmo ar acabava deixando o ambiente mais pesado e quente. Ocorreu-me a idéia de fazer nevar no salão principal, mas não acredito que o diretor iria apreciar a idéia.
Comi a minha comida o mais rápido que pude, para assim conseguir sair logo daquele salão e ir para algum lugar mais calmo. E foi exatamente isso que eu fiz. Pensei em ir para o salão comunal, mas lá também estaria cheio de pessoas e ainda bem que outra idéia me ocorreu. Lembrei-me de uma sala vazia no terceiro andar.
Segui para lá sem pensar nem duas vezes sobre o assunto. Abri a porta cuidadosamente e para toda a minha alegria a sala estava escura e vazia. Se eu pudesse com certeza teria soltado alguns fogos de alegria, mas não queria chamar atenção. Fechei a porta ao entrar e fui direto para uma mesa que tinha próxima a uma janela. A única luz que existia na sala era da lua que entrava pela janela. Coloquei minha mochila sobre a mesa antes de pegar minha varinha e conjurar “Lumus” para poder enxergar melhor. Para o meu alivio possuía em uma estante próxima uma vela já usada anteriormente, mas isso era suficiente para resolver meus problemas.
Coloquei a vela sobre a mesma mesa que tinha deixado minha mochila e acendi-a usando a varinha. Logo tirei meu material da mochila para dar uma adiantada nos deveres de casa que estavam atrasados. Estava agradecida por ter achado uma sala vazia onde podia fazer meus deveres sossegados, sem ninguém perturbando. Pois atualmente até a biblioteca andava impossível de usar.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Sab Jan 08, 2011 4:53 am

Os dias estavam cada vez mais entediante, e eu não sabia porque mas ultimamente anda me irritando facilmente, mais que o normal, parecia que as coisa me irritavam mais ou a simples existência me fazia sentir o sangue ferver.


Naquela manha tinha levantado cedo, cedo de mais para as aulas e ate mesmo o café. Tomei um banho, escovei os dentes e depois me vesti e fui aproveitar o tempo para tocar um pouco de guitarra. Aproveitei o ouço tempo ate a hora do café da manha, quando parei para comer alguma
coisa, não demorei muito naquele lugar que mais parecia uma feira de tanta gente. Dirigi-me para aulas, como sempre sentei em um lugar afastado das pessoas, não estava muito afim de papo e em geral eu não era muito sociável. Fui um dos últimos a sair da sala, fui ao dormitório tomar outro banho devido ao calor infernal que estava lá fora. Parei para fazer as poucas atividades que o professor passou e bem como eu pegava rápido o assunto, logo terminei a atividade.



Já era noite quando eu terminei apesar de ter sido rápido, como não tinha nada a fazer sem demora tratei de ir espairecer um pouco do melhor jeito que eu conhecia, peguei minha guitarra e fui para meu lugar preferido, ou melhor dizendo, meu santuário particular, mas que para muitos era uma sala onde poucos ousavam ir principalmente por saber que eu vivia sempre lá.


Cheguei na sala, e para minha surpresa ela não estava fazia, muito pelo contrario tinha um garota estudando no meu lugar, o que era sem duvida um abuso, porem tinha admitir que ela tinha coragem e o melhor era linda também.Fiquei um tempo ali admirando aquela garota sabia que era da minha casa, porem eu mal conheço as pessoas nunca fiz questão de conhecê-las, a não ser que seja do meu interesse, mas me perguntei porque não tinha reparado melhor nela. Então com minha guitarra nas costas, de óculos escuro no rosto e encostado no vão da porta resolvi acabar com a concentração dela.


- Afinal quem te deu o direito de ficar aqui? Não sabe que esse lugar é proibido para qualquer um, exceto a mim!?! – falei pausada mente. – A não ser que tenho vindo me entreter! - Dei um meio sorrio maroto, e caminhei na direção dela. Estava ansioso para ver mais de perto a reação dela, afinal sabia dos boatos que rolavam sobre mim nos corredores, sobre o meu jeito selvagem e sobre o que acontecera na minha família, eu não os negava, mas também não os confirmava.
Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Sab Jan 08, 2011 5:50 am


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°: 02
Todo aquele calor e a quantidade infernal de alunos dentro da escola estavam começando a me incomodar. Até mesmo a sala comunal da Sonserina andava abarrotada de pessoas. Mas em compensação se você fosse algum louco e gostava de passar um calor, a área externa de Hogwarts andava bem vazia ultimamente. Claro que eu aproveitei isso e fui fazer meus exercícios enquanto o dia ainda não estava tão quente.
Depois de fazer os exercícios, ir a aula e jantar, finalmente eu consegui arrumar uma sala vazia para que eu pudesse me concentrar melhor nos meus deveres, já que a biblioteca também andava movimentada.
Entrei na sala vazia e fui logo arrumando um canto para estudar. Acendi uma vela para que assim conseguisse enxergar o livro e o pergaminho. Abri o livro de poções sobre a mesa e comecei a fazer o dever que o professor de poções tinha passado mais cedo.
Tinha escrito por volta de 10 linhas do meu dever quando escutei a porta da sala se abrir. Olhei rapidamente para a porta e notei que era um aluno que estava parado ali. Não dei muita importância e logo voltei a me concentrar no meu dever. Mas mesmo ignorando o fato de ter alguém ali, podia sentir o olhar do aluno em mim.
Afinal quem te deu o direito de ficar aqui? Não sabe que esse lugar é proibido para qualquer um, exceto a mim!?! ” ele me surpreendeu ao falar comigo. Não conseguia ver quem era exatamente, estava escuro e ele parecia estar com óculos escuro. Mas isso não evitou que eu olhasse para ele e levantasse uma sobrancelha de forma incrédula. Quem ele pensava que era para falar comigo daquele jeito?! Merlin, talvez?! A não ser que tenho vindo me entreter! revirei os olhos para ele e voltei minha atenção para o meu pergaminho. A ultima coisa que eu queria no momento era alguém me atrapalhando.
Percebi que ele tinha se aproximado da mesa e novamente deixei minha pensa ceder e levantei meu olhar para ele. Agora eu podia ver claramente quem era que estava ali. Era o famoso Lucca. Digo famoso porque a maioria dos alunos parecia temer ele. E outra coisa que veio em mente era que essa sala, para muitos alunos, era uma área de risco, afinal ele costumava viver aqui.
Voltei a escrever no meu pergaminho como se não desse a mínima por ele estar ali, mas estava começando a ficar incomodada com a presença dele e o fato de estar sendo observada. –Lamento informar, mas não estou aqui para o seu divertimento.- disse por fim sem desviar os olhos do meu livro. –E para a sua informação, ninguém te deu o direito de ser dono nessa sala...- Encarei ele sem ao menos temer a sua reação. –Por isso que eu tenho total direito de ficar nessa sala tanto quanto você.- Conclui a minha frase e voltei atenção para a minha tarefa de poções que era mais importante nesse momento.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Sab Jan 08, 2011 8:38 am

Sim aqueles últimos dias estavam sendo um martírio para mim e como já tinha dito antes eu andava tão irritado que o simples fato de me olharem feio era motivo para eu arrancar o couro de alguém e fazer de tamborim e começar uma coleção, ou simplesmente quebrar os dentes de alguém fazer com eles um colar o que acham? Ficaria bem legal...


Mas infelizmente as pessoas me evitavam por esse motivo, acho que previam que eu não andava muito bem. E já que não podia extravasar dessa forma a musica era o único remédio e também era algo me de divertia e distraia. Então era de se esperar que eu estivesse com minha guitarra nas costa e fosse pra o único lugar onde sabia que não seria incomodado.


Porém me enganei quando cheguei lá, não estava sozinho na sala, já tinha alguém que ousou profanar meu santuário. Ate que a garota era bonitinha porem não gostei muito do fato de ser ignorado, não que no primeiro momento eu me importasse, porem depois que eu falei que aquele era meu lugar e que só eu poderia estar ali amenos que ela tivesse vindo me entreter um pouco, ela nem sequer me olhou mesmo estando comigo.


–Lamento informar, mas não estou aqui para o seu divertimento.- Realmente era uma pena saber aquilo, mas o fato dela esta ali me irritou afinal não gosto muito de companhia a menos que eu ganhe algum benefício.-Então saia daqui agora! – rosnei já cada vez mais irritado com o jeito que ela falava comigo. - E para a sua informação, ninguém te deu o direito de ser dono nessa sala...-Naquele momento já estava próximo a ela vendo que ela estava a fazer atividades de poções. - Por isso que eu tenho total direito de ficar nessa sala tanto quanto você.ela simplesmente voltou a fazer a atividade como se eu não estivesse ali. Rosnei de raiva com tudo o que ela disse. – Dane-se !falei empurrando a mesa com violência que por pouco ela não virou nem derrubou a vela que tombou apagada deixando a sala só iluminada pela luz da lua que atravessava a janela naquele momento. Minha atitude pareceu assustar ela, na hora não quis saber se era por meu estado ou pela forma que empurrei a mesa, só sei que ela pulou da cadeira . – Não me provo que! – me aproximei novamente dela segurando o braço de forma rude e a colocando contra a parede. - Estou pouco me lixando para os seus direito! Te quero fora daqui agora entendeu !?! meu lado animal meio que tinha tomado conta de mim, e quando a luz da lua iluminou parte do meu rosto fazendo um olho adiquirir um brilho que me deixava mais selvagem que o normal. Um rosando saio pela minha garganta e logo veio minha palavras – acho bom sair por bem , se não vou te tirar daqui por mau !- meu corpo estava mais próximo do dela do que eu queria e alem daquela raiva que eu sentia um sentimento estranho desejo se misturava a raiva.
Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Sab Jan 08, 2011 6:52 pm


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°:03

Aposto que se alguma pessoa estivesse no meu lugar, em uma sala com o Lucca, provavelmente já teria saído correndo da sala. Mas eu não me importava de ficar em uma sala com ele. Portanto que ele ficasse calado, não me incomodasse e deixasse eu fazer o meu dever em paz.
Era claro que ele não pretendia fazer nenhum desses itens, e como não havia nenhum lugar para ir, achei melhor ficar aqui e confrontar ele. Para ser sincera não me preocupava a fama dele de mal e de esquentadinho. Se ele era assim... pois bem, eu podia ser pior.
Enfrentei ele dizendo que não estava ali para divertir ele e que ele não tinha direito nenhum de ser o dono da sala. “Dane-se !” Escutei ele rosnar de raiva antes de pronunciar a palavra. Em um segundo eu estava apoiada na mesa e em outro a mesa estava voando para longe e a vela se apagou. Pulei da cadeira antes que ela se virasse com o meu susto. Não era a toa que as pessoas morriam de medo dele. Era um tanto quanto assustador a reação dele. Mas ainda duvidava que ele era capaz de fazer algo comigo. “Não me provo que! estava escuro novamente e apenas notei que ele estava se aproximando quando ele segurou meu braço rudemente e me encostou na parede. “Estou pouco me lixando para os seus direito! Te quero fora daqui agora entendeu !?!” estava o que se podia considerar calma pela situação que eu me encontrava. Ele teria que se esforçar mais se realmente quisesse me intimidar. –E eu não ligo o que você quer ou deixa de querer.- Disse em resposta encarando seus olhos que possuíam um brilho estranho devido a luz. Mais um rosnado surgiu do Lucca antes dele falar. “acho bom sair por bem , se não vou te tirar daqui por mau !
Cerrei meus olhos, encarando ele completamente destemida. Realmente... ele não me assustava tanto quanto assustava as outras pessoas. E podemos dizer que sempre me senti atraída por homens difíceis. –Eu vou ficar e terminar o meu dever- disse pausadamente e calma. Consegui me soltar dele e sai de perto dele indo até a mesa que havia sido jogada. –Você vai precisar mais do que uma ameaça para me fazer sair.- Acendi novamente a vela e me virei par encarar ele. -Quem sabe se você pedir com um pouco mais de gentileza eu não faço o favor e saio.- encostei na mesa e comecei enrolar uma mexa do meu cabelo.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Ter Jan 11, 2011 1:02 am

Acho que Merlin queria me ver na cadeia só pode, será que já não bastava meu péssimo humor, ele tinha que por a prova minha paciência que já e pouca. Eu simplesmente não entendia porque era tão difícil as pessoa entenderes que esse lugar é proibido para qualquer um alem de mim, é mas parecia que eu precisava arrancar a cabeça de alguém para poder me entenderem, ou melhor fazzer o que eu digo eu teria que mostrar que não estou para brincadeiras?


–E eu não ligo o que você quer ou deixa de querer.

Rosnei de raiva eu odiava quando me contrariavam, e fui ate rude no jeito que a segurei e a encostei na parede exigindo que ela saísse dali e se não fosse por bem seria por mal, e eu não estava brincando nem um pouco, ela podia ser atraente e tudo mais, porém isso não significava que eu seria menos rude por isso.

O mais interessante diante de tudo aquilo era que ela me encarava de um jeito que nunca tinha visto ninguém fazer ou ousar fazer, ela não tinha medo e me peitou de um jeito que fazia meu sangue ferver. Eu vou ficar e terminar o meu dever- diante daquilo eu tinha que me surpreender e isso fez com que ela se desvencilhasse de mim. Você vai precisar mais do que uma ameaça para me fazer sair.- eu já estava imaginando aquilo, e me perguntava se ela queria que jogasse porta fora para ou simplesmente arrancasse um braço dela ( o que seria uma pena machucar aquele corpo). -Quem sabe se você pedir com um pouco mais de gentileza eu não faço o favor e saio. – ele franziu o cenho numa expressão furiosa, quem ela pensava que ele para por acaso ceder aos caprichos dela.

- Você quer que eu fale com jeitinho? – fiquei serio e analisava o jeito que ela me olhava. Ainda estava furioso e tentei parecer calmo. – Acho que tem razão não te tratei da forma como merece!- Fui na direção dela, com um sorriso fio no rosto que assim que cheguei perto dela, peguei com força o braço dela e comecei a arrastar ela sobre proteste em direção a saída, a garota se debatia não de medo mas sim de raiva, e me fazia ficar com raiva afinal tava acostumado com o medo das pessoas e não com eles me enfrentando. – eu avisei que ira te tirar daqui nem que fosse por mau ! – Aproveitou a porta aberta e atirou ela para fora da sala, batendo a porta na cara dela. Ele se virou furioso e dessa vez descarregou a raiva na pobre mesa derrubando sem se importar com as coisas dela com a mesa ou a vela.


Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Ter Jan 11, 2011 1:48 am


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°: 04


Não costumava ser esquentada e irritada como os sonserinos costumavam ser. Ou como o Lucca costumava ser. Mas aquele menino estava começando a me tirar do serio e isso não era um bom sinal.
Ele tinha jogado a mesa longe, pego no meu braço e me prensado na parede. Isso me fazia questionar quem ele pensava que era para achar que podia fazer essas coisas comigo. E sinceramente... isso não importava. O que me importava era que eu sou Rosalie Marie Stewart e não deixaria um babaca como o Lucca me afetar.
Estava realmente decidida em enfrentar ele e sem nenhum medo. Alguma coisa me dizia que ele jamais me machucaria, podia estar errada, mas estava disposta correr esse risco. Consegui me soltar durante um momento que surpreendi ele com a minha resposta. Fui até a mesa e disse que se ele quisesse que eu saísse, teria que ser mais gentil comigo. Afinal, não se deve tratar uma bela garota daquela maneira.
Você quer que eu fale com jeitinho? fiz um sinal positivo com a cabeça e dei um sorriso torto. Quem sabe eu não conseguia domar esse lobo mal. Acho que tem razão não te tratei da forma como merece! ah... ele finalmente estava começando a me entender. Ele se aproximou de mim, me segurou com força no braço e começou me arrastar para a porta. Tentei me soltar, mas infelizmente a força dele era maior que a minha. Tentei, tentei, realmente tentei me soltar dele, mas fui jogada para fora da sala e tive uma porta batida na cara.
Alguns alunos que estavam no corredor ficaram olhando eu me recompor depois dos gritos que eu tinha dado com Lucca. Outros alunos estava fofocando algo sobre mim e eu não gostei nada de ter uma platéia enquanto brigava com o Lucca. Respirei fundo algumas vezes, mas a raiva não queria diminuir. Aquele menino realmente tinha me tirado do serio e agora ele veria a fúria da Rose.
Abri a porta violentamente e adentrei na sala. Graças a luz do corredor consegui ver que a mesa estava no chão agora e com isso minhas coisas também. Minha fúria foi maior ainda ao ver ele parado ao lado da mesa. Bati a porta atrás de mim antes de correr em direção ao Lucca. Diferente dele, eu decidi descarregar minha raiva em outro lugar. Sem pensar duas vezes desci tapas e socos nele, em vários lugares e o mais forte que eu conseguia bater nele.
Quando a raiva cedeu um pouco eu parei para consegui respirar um pouco. –Seu idiota! Não é porque você é o Lucca que tem direito de me enxotar para fora da sala.- disse pausadamente devido a respiração ofegante. Continuava encarar ele seriamente e destemida. Nunca gostei de ser mal tratada, sempre fui mimada e tive tudo o que eu queria, ou seja, ter alguem me enxotando de algum lugar realmente me deixava irritada e com raiva.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Qua Jan 12, 2011 2:02 am

Nunca foi do tipo de pessoa muito paciente, bem digamos que um dia eu talvez fosse mas as pessoas mudam de forma natural e gradualmente ou de forma bruta. De qualquer maneira não importava, ele era o que era e tinha ficado irritado por causa daquela garota.


Era ate interessante a garota me enfrentar daquele jeito, uma atitude admirável em algumas situações, porem naquele momento eu achara que era maior tolice, ou uma grande tentativa de suicídio involuntária. Ta certo que a garota pertencia a mesma casa que eu, mas isso não significava que eu teria que ser mais amável com ela. Eu não gostava de companhia a não ser que tivesse algum interesse e esse não era o caso já que ela me tirava do serio e eu estava muito irritado para enxergar agora qualquer atrativo ou benefício para mim.


Ela tinha chegado ao ponto de querer que eu falasse com ela com jeitinho, como se eu fosse algum servo ou um daqueles moleques que vivia a agarrada-lá, sim agora eu lembrava muito bem dela esse jeitinho, Rose, fazia muito sucesso era verdade, mas naquele momento ele me irritava de mais para eu poder pensar direito, irritado tentem me conter para poder arrastá-la e jogá-la para fora da sala com bastante jeitinho, sim, do meu jeito.


Joguei ela com força e sem cuidado nenhum para fora da sala, sem me importar com os olhares dos alunos que passavam no corredor, bati a porta na cara dele e furioso descontei a raiva na primeira coisa que vi na minha frente o que aliviou um pouco a tensão e clareou meus pensamentos.


Mas foi então que a porta foi aberta com tal violência que me fez verificar , apesar de eu já saber quem era. A garota tinha no olhar uma fúria que eu não imaginaria que ela poderia ter, e bem ela avançou em cima de mim num misto de tapas e socos no qual eu tentei desviar ate ser encurralado na parede e sendo inevitável apanha. Eu segurei com umas das mão o pulso da garota evitando assim mais alguns golpes e lhe agarrarei o pescoço com a outra mão, a fazendo mais uma vez ficar contra a parede. Naquele momento ela já não podia me bater nem mesmo com a mão que ainda tinha livre. –Seu idiota! Não é porque você é o Lucca que tem direito de me enxotar para fora da sala.- ela estava seria e ofegante e eu também serio –Enganasse é justamente por eu ser quem sou que tenho esse direito! -afrouxei minha mão que estava no pescoço dela e baixei meus olhos encarando o tom vermelho que estava em destaque, franzi o cenho, as vezes eu era tão explosivo e o pior cada dia ficava mais parecido com o pai e odiava isso. Dei um suspiro olhando novamente para ela e naquele momento de sanidade, reparou com mais clareza nas linhas do rosto da garota. Quer ficar fique, só não me provoque... Não me faça te machucar – talvez aquilo soasse como uma ameaça, mas era mais um aviso, pois eu sabia o quanto era difícil me controlar. Minha expressão estava mais relaxada quando novamente eu olhei o pescoço dela e tocou levemente o lugar vermelho, que eram marcas perfeitas da mão dele, naquele momento eu não sabia explicar, nunca tinha me sentido daquele jeito, acho que o nome certo era culpa, nunca soube que aquilo incomodava tanto, relaxei minha outra mão soltando o pulso dela mas continuei ali próximo a ela com o olhar perdido no pescoço dela com a mão acariciando de leve o pescoço dela, um gesto meio involuntário, era como se acreditasse que de alguma maneira as marcas fosse sumir com aquilo.
Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Qua Jan 12, 2011 3:52 am

Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°:05




Se alguém me ouvisse que eu sabia que o Lucca jamais me machucaria pensaria que eu estava louca e devia ser internada no St. Mungus. Mas no fundo algo me dizia que ele não me machucaria, mesmo enquanto ele tinha seus atos de pancadaria.
Destemidamente eu tinha enfrentado ele, de frente a frente, sem ver diferença entre nós. Como se ele não fosse nada alem de um aluno da Sonserina. Como se eu nunca tivesse ouvido boato nenhum sobre a sua agressividade pela escola. E isso me rendeu um belo chute na bunda e fui jogada para fora da sala vazia. Sim, sem dó nem piedade ele agarrou meu braço e me levou para fora da sala enquanto eu protestava. Mas isso não o impediu de me arrastar para fora, afinal sua força era bem maior que a minha. E se não bastava me enxotar para fora da sala, ele ainda fechou a porta na minha cara.
O Lucca realmente tinha conseguido me tirar do serio aquela noite! E isso não era uma coisa que acontecia facilmente, eu era o que se pode dizer: uma Sonserina paciente. Mesmo sendo muito paciente estava furiosa com aquele sonserino. Furiosa o suficiente para abrir a porta com violência e ir de tapas e socos em cima dele.
Ele tentou desviar dos meus tapas, mas foi encurralado na parede. Ele parecia um pouco surpreso pela minha reação e talvez pela fúria que estava presente nos meus olhos. Mas novamente ele segurou meu pulso com uma mão e com a outra o meu pescoço. Em segundos não era mais ele que estava encurralado na parede, e sim eu. Sua mão fechava com força no meu pescoço o que me fazia ter dificuldade para respirar naquele momento. Mas mesmo assim não evitou que eu soltasse uma frase para ele. –Seu idiota! Não é porque você é o Lucca que tem direito de me enxotar para fora da sala.- o encarava da mesma forma que era encarada. Talvez essa fosse a primeira vez que eu confrontei alguém tão determinada. Enganasse é justamente por eu ser quem sou que tenho esse direito! -” ele afrouxou a mão do meu pescoço e eu respirei fundo para diminuir a falta de ar. Estava prestes para dar uma resposta a ele quando escutei ele suspirar e olhar para mim. Poderia parecer loucura, mas mesmo com apenas a luz da lua, pude ver algo mudar no rosto dele. Parecia até ser... arrependimento?! Quer ficar fique, só não me provoque... Não me faça te machucar fiquei muito surpreendida com a atitude dele. Esperava mais xingos e empurrões. Mas pelo o que parecia eu estava certa ao fato de algo ter mudado em seu rosto.
Sua expressão estava mais tranqüila, ele parecia em todo estar mais calmo. E agora eu não entendia mais nada. Um momento ele é um grosso idiota e em outro ele está calmo. Ele devia sofrer de bipolaridade. Inesperadamente ele tocou meu pescoço, onde a poucos sua mão se fechava. Ele relaxou a mão do meu pulso, enquanto continuava acariciando de leve o meu pescoço. O meu olhar estava perdido no rosto vago do Lucca, e enquanto isso pude ver que em algum lugar naquele sonserino algo de bom estava guardado. Talvez a sete chaves, mas não que fosse impossível abrir. O silencio tomou conta da sala e aquele momento de paz estava começando a ficar constrangedor de mais.
Deixei meu olhar cair e vi a mesa desmontada no chão. Com um estalo meu dever de poção veio na minha mente. Afastei dele, deixando o Lucca para trás com a mão suspensa no ar. Peguei minha varinha para iluminar o pedaço de pergaminho que estava no chão. Com a luz que era projetada da varinha pude ver que o meu dever estava completamente destruído, cheio de tinta do tinteiro. Toda aquela fúria que havia dentro de mim antes parecia ter voltado a flor da pele. Virei furiosa novamente para o Lucca e da mesma forma que antes fui de tapa em cima dele. –Você não tem idéia de quanto trabalho deu isso!- disse pausadamente entre tapas. Pior do que me jogar para fora da sala era ter meu dever todo destruído. Esse Lucca ia me pagar e feio. –Ugh! Você é inacreditável! Fique feliz, pois acabou de me fazer sair dessa sala!- disse de dentes cerrados e dei as costas para ele, indo pegar as minhas coisas para sair daquela sala.
Spoiler:
espero que vc gooste^^
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Qui Jan 13, 2011 6:45 am


Eu sempre fui o tipo de pessoa que tem o pavio curto, sim eu me irritava muito facilmente, e eu não estava num situação onde me controlar estava sendo completamente impossível. Ter alguém me contrariando, me enfrentando daquele modo que a Rose me enfrentava me deixava furioso.


Sim eu sabia ser gentil alguma vezes mas nunca mostrava esse lado meu para ninguém, em outras palavras acha que se demonstrasse qualquer vestígios de bondade era admitir ser fraco, coisa que eu não admitia .


As coisas na sala vazia estavam realmente feias, eu e a Rose não parecia que chegaríamos a um entendimento e a tendência ali era ficar pior. Fui extremamente rude com a garota e atirei ela para fora da sala sem o mínimo de delicadeza e ainda bati a porta na cara dela. Meu nível de irritação era tão grande que eu descontei minha raiva na mesa a derrubando com tudo o que tinha em cima no chão, só depois de desconta minha raiva pude ficar um pouco mais racional, mas nesse momento a garoto entrou furiosa me agredindo e bem a garota tem uns tapas bem fortes, mas não me importei bem com isso mesmo estando encurralado na parede e vendo ela esbravejar comigo. Para impedir que ela continuasse a me bater a segurei com uma certa brutalidade segurando o pescoço e o pulso dela a pondo contra a parede.


Ela ainda era destemida naquela situação ela ainda tinha peito para me enfrentar, eu era óbvio que ainda achava que tinha total direito de fazer o que eu quisesse ate mesmo expulsa-la da minha sala. Eu estava um pouco racional não tinha toda aquela raiva inicial depois de descontar na mesa minha raiva, foi quando afrouxei as mão do pescoço dela percebendo então o tom vermelho, e aquilo me fez sentir algo que nunca tinha sentido antes, uma espécie de arrependimento, e então acabei deixando com que ela ficasse, porem pedi para que não me provocasse para que não a machucasse, por mais rebelde, malvado e cruel que eu fosse não era do tipo que machucava uma mulher, não estando consciente dos meus atos, mas nervoso eu tinha um receio do que eu seria capaz de fazer, odiava pensar que seria capaz de fazer o mesmo que meu pai, odiava pensar que a cada dia eu podia esta me tornando igual a ele.


Eu acabei relaxando e soltando a garota mas ainda fiquei perto dela, tocando onde eu a tinha machucado, na minha mente não sabia direito no que pensar, estava calmo e vio a proporção do meu estrago, naquele momento eu me arrependi, não sei porque mas lembrei da pior noite da minha vida, lembrei do quando tinha meu pai tinha machucado a minha mãe queria um jeito de apagar aquela marca do pescoço dela. Foi quando simplesmente ela se desvencilhou de mim ate não então fiquei sem entender, só percebi quando o olhar dela caiu sobre a mesa e logo ela começou a esbravejar e me bater novamente.Você não tem idéia de quanto trabalho deu isso!- tentava segura-la em quanto ela e batia –Ugh! Você é inacreditável! Fique feliz, pois acabou de me fazer sair dessa sala! –ela se virou para ir em borá e eu a segurei no braço a trazendo para junto a mim e a envolvendo pela cintura. –Onde pensa que vai!?! Dou um jeito no seu trabalho....- ela nunca escutaria um pedido de desculpas meu, mas talvez ficasse subentendido na minha atitude, afinal ela estava certa quanto a eu ter destruído o trabalho dela. Eu via o quanto a garota tentava se libertar de mim, mas não estava nem ai e por alguma razão que naquele momento eu desconhecia, mas pela qual me deixou levar segurei o rosto dela e então me inclinei na direção dela forçando meus lábios contra os dela, em um beijo que descrevia a minha natureza selvagem, de alguma maneira que eu não sabia explicar ela me ataia quando pude realmente reparar nela mais calmo e eu desejava fazer aquilo, desejava tê-las em meus braços.


Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Dom Jan 16, 2011 3:05 am


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n°:06
Ninguém no mundo tinha conseguido me tirar do serio como o Lucca tinha conseguido em apenas alguns minutos. Bastava um movimento dele que a raiva subia a minha cabeça. As vezes não sabia se era pela fama que ele tinha no castelo, ou se era apenas o jeito dele mesmo, mas algo naquele menino me irritava. E muito!
Tinha voltado irritada para a sala, depois de ter sido enxotada para fora da sala pelo Lucca. Parti logo para a baixaria e fui de tapas e socos para cima dele. Mas é claro que aquilo não surtiu muito efeito, já que ele dava quase o dobro do meu tamanho. Ele segurou um pulso meu com uma mão e com a outra prendeu meu pescoço e me colocou contra a parede. Ele me segurou assim por um tempo, enquanto eu soltava algumas palavras para ele.
Ficamos assim por um tempo, até que em um surto de bom senso ele me soltou. E o que mais surpreendeu foi a forma que ele começou a acariciar o meu pescoço, no lugar onde ele tinha apertado. Parecia que ele estava se arrependendo do que fez, o que eu nunca pensei que fosse acontecer.
Meu olhar baixou para a mesa que tinha sido destruída, e no chão estava todo meu dever completamente estragado. Assim como antes, parti para cima do Lucca nervosa e irritada com ele por ter estragado o meu dever de casa. –Você não tem idéia de quanto trabalho deu isso!- disse pausadamente enquanto ele tentava me segurar. –Ugh! Você é inacreditável! Fique feliz, pois acabou de me fazer sair dessa sala!—se eu ficasse mais algum segundo ali, talvez mataria o Lucca. Preferi então sair da sala, mas com certeza acertaria as contas com ele depois. Me virei para ir pegar minhas coisas mas uma mão impediu que eu continuasse.
O Lucca segurou o meu braço, depois envolveu minha cintura e me puxou para perto dele. Tentei me soltar novamente mas ele era mais forte que eu. “Onde pensa que vai!?! Dou um jeito no seu trabalho... ” olhei emburrada para ele. Afinal... onde ele estava querendo chegar sendo gentil comigo?! Inesperadamente ele segurou meu rosto e se inclinou na minha direção, encontrando seus lábios no meu. Meus olhos se arregalaram. A confusão surgiu na minha cabeça, e eu não conseguia entender de onde isso havia vindo. Em segundos atrás estávamos brigando e agora estávamos nos agarrando?!
Não pude corresponder o beijo da forma devida e ao invés de agarrar ele, o empurrei para longe. A minha expressão era confusa quando olhei nos olhos dele. O que eu mais queria no momento era entender o que se passava dentro de mim. Subitamente o que eu sentia antes, que era raiva, mudou para desejo. Era como se a coisa que eu mais queria no mundo era estar com ele naquela sala vazia. O que antes era completamente ao contrario.
Enquanto observava seu rosto uma vontade enorme surgiu dentro de mim, e antes que eu pudesse reprimir essa vontade e sair da sala, fui de encontro com ele. Envolvi-o, beijando de forma intensa e urgente. Com aquele beijo tudo o que aconteceu antes evaporou da minha mente. Parecia literalmente nas nuvens, o que eu nunca pensei que fosse acontecer justamente com o Lucca.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Lucca Ragazzi em Qui Jan 20, 2011 10:08 am

Sim eu tinha jogado a garota para fora da sala, e juro que não esperava vê-la entra que nem um furação e me encher de tabefes e socos, que eu juro para vocês que não esperava. Eu ainda estava meio que sobre efeito do que sobrou da minha raiva e óbvio que e tentando me defender dos socos e tapas a segurei com força a colocando contra parede. E naquele momento percebi que devido a minha força excessiva acabei machucando ela e deixando marcas visíveis, aquilo me fez solta-la mas ainda fiquei próximo dela, me auto recriminado por aquilo, por a cada dia ficar igual a pessoa que eu menos queria ser, meu próprio pai.


Ficamos naquele momento ate ela perceber o que aconteceu com a mesa, tinha descontado minha raiva depois de jogá-la para fora e não me dei conta do que aconteceu com o trabalho dela, mas ela por outro lado quando viu o estrago novamente começou a me atacar, dessa vez não me importei muito, mas tomei cuidado ao segura-la para não machucar ela. Deixei que ela esbravejasse comigo ater cansa e quando ela se virou para e deixar eu não permiti. Aquela altura eu já tinha deixado que ela permanecesse na sala, mas devido ao que aconteceu com o trabalho dela ela queria sair dali mas eu não permiti e a trouxe novamente para junto de mim, mesmo com protesto. Disse que daria um jeito mas ela não iria a lugar nenhum. Eu simplesmente não fazia idéia do que estava acontecendo comigo e quando dei por mim a raiva tinha sumido e eu tinha sido tomado por um sentimento inexplicável e quando dei por mim eu já a estava beijando.


Eu curti cada segundo daquele momento antes dele me empurra para longe dela, juro que naquele momento eu pensei que novamente ela iria me bater ou quem sabe ate levaria um chute, sabe como é mulher quando fica brava ou é contrariada, mas eu sabia que independente de qualquer coisa eu não estava arrependido, e aquilo me deixava confuso porque sabia que tinha gostado de sentir os lábios dela nos meus mesmo que ela não tivesse me correspondido da forma que imaginei. Só que para minha surpresa ela de repente veio na minha direção eu esperava o pior, mas o que veio foi melhor muito melhor do que pensava, os braços dela me puxaram de encontro a um beijo voraz e urgente, ao qual eu correspondi com a mesma intensidade e desejo. Aquele beijou mexeu completamente com minhas estruturas, eu perdi a noção de tudo a minha volta, não sabia explicar o que estava sentindo só sabia que a cada segundo eu e o animal que habitava dentro de mim, queria aquela garota. Eu a segurava em meus braços tão possessivamente com medo de que ela fugisse de mim, mesmo que de uma estranha maneira eu soubesse que ela faria isso. Deslizei minhas mãos ate a cintura dela e a guiei ate a parede mais próxima, de fato aquilo estava virando uma marca registrada nossa, sem nem ter o que pensar e agindo completamente por puro desejo a ergui do chão, fazendo com que entrelaçasse as pernas em torno da minha cintura. E deixando me levar completamente pelo momento, deixei meus lábios deslizarem ate o pescoço dela mordendo e beijando levemente. Eu subia até a orelha dela, e depois descia para perto do colo dela ate novamente buscar os lábios dela para mais um beijo voraz. Deixava me levar completamente pela situação, uma das minhas mãos deslizou da cintura para a coxa dela, em quanto à outra me dava apoio suficiente pra continuarmos.


Nunca poderia em minha vida poderia imaginar senti uma atração tão arrebatadora que seria capaz de me fazer esquecer o começo complicado que tinha ocorrido alguns minutos atrás, muito menos que eu estaria aos amasso com a Rose, que por sinal eu simplesmente estava adorando.

Spoiler:
leeeh espero q goste fiz meio q correndo tive q terminar no trampo eh meio complicado
Lucca Ragazzi
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Sex Jan 21, 2011 12:26 am


Rosalie Marie Stewart | Sala Vazia | Post n° 07


Algumas pessoas dizem que o ódio se transforma em amor. Mas no nosso caso, a raiva se tornou em desejo. Eu já havia estapeado o Lucca por ele ter me jogado para fora da sala, uma coisa que ninguém nunca ousou fazer comigo. Nunca fui uma sonserina igual as outras, alguns até diziam que eu sou boazinha de mais. Costumo ser calma perto dos outros sonserino, mas quando sou tirada do serio, posso virar um dos piores tipos de sonserinos.
Depois de alguns tapas e chutes a situação inverteu e eu fiquei contra a parede com o Lucca segurando o meu pescoço. A força dele estava começando a me sufocar quando ele me soltou, mas continuou próximo de mim, enquanto alisava onde era possível ver as marcas vermelha que a mão dele havia deixado.
Aquele momento silencioso estava se tornando constrangedor, quando notei o estrago que tinha sido feito na mesa. Afastei-me do Lucca e fui checar meu dever que estava completamente destruído. A fúria voltou nos meus olhos e eu parti para cima do Lucca novamente. A raiva era tanto que eu decidi sair da sala, mesmo depois que ele deixou que eu ficasse ali. Assim que me virei para pegar minhas coisas ele me segurou pelo braço e depois envolveu minha cintura me puxando para mais perto. Naquele momento eu já não conseguia mais entender o que se passava na cabeça do Lucca e muito menos consegui prever o que viria depois. E foi exatamente o mais inesperado que aconteceu.
Ele segurou o meu rosto e me beijou. Fiquei completamente surpresa com aquilo e não correspondi o beijo. Afinal, não conseguia entender de onde isso havia vindo e muito menos o que se passava dentro de mim. Era como se alguma coisa dentro de mim se sentisse atraída por ele. Fui consumida por uma vontade inexplicável que surgiu dentro de mim, e antes de me afastar fui de encontro com ele, o beijando com intensidade e urgência.
Não sabia o que se passava entre a gente, o que realmente havia acontecido para nos levar a esse ponto, mas eu sabia que seria impossível resistir a esse momento, então me entreguei totalmente aos braços do Lucca e deixei me envolver pelo momento. Podia sentir todos os toques dele, que estavam delicados comparados com os das nossas brigas. Sua mão deslizou pela minha cintura, me guiando até a parede onde me deixou presa entre os dois, mas dessa vez eu não ia reclamar por estar nessa situação, pelo contrario, gostava dessa idéia.
Ele me ergueu do chão enquanto eu entrelaçava as pernas na sua cintura, explorava meu corpo com sua mão e seus lábios, me provocando de forma que me fazia querer subir pelas paredes. Naquele momento eu mal conseguia comandar meu próprio corpo, muito menos os meus desejos e deixava ser completamente levada pelo momento que estava presenciando.
Minha mão fazia caminho pela suas costas, tirando a blusa dele, enquanto outra alisava seu abdômen definido. Minha mente estava quase toda ligada ao momento, mas uma pequena parte, que provavelmente era minha sanidade, me fazia lembrar o meu dever que estava destruído. Calmamente soltei a sua cintura, e fiquei em pé novamente. Sem parar de beijar ele e nem me afastar dele, o guiei para próximo do meu dever que havia sido destruído. Assim que cheguei perto o suficiente, lhe dei uma lave mordida no lábio inferior e me afastei dele com um sorriso safado no rosto. Peguei o meu livro de poções e joguei no peito dele. –Quero meu trabalho sobre a poção Felix Felicis, pronto até amanhã a tarde.- Pisquei para ele e dei leves tapinhas em seu ombro. Peguei a minha mochila em seguida e dei as costas para ele, indo até a porta. Parei na porta e me virei para ele. –Me encontre no cemitério em Hogsmead.- enviei um beijo no ar para ele e sai da sala. Agora era a minha vez de ser um pouco má e judiar dele. Depois de sair da sala eu fui direto para o dormitório feminino da Sonserina para dormi, já que estava muito tarde.
Rosalie Marie Stewart
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03/09 | Sala Vazia - noite

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum