Hogwarts Revelium
MSN GROUP
group1378820@groupsim.com
15 de Outubro
sexta-feira
a temperatura agradável permite que os habitantes de Hogwarts andem com roupas leves. Durante o dia o céu é claro e bonito, fazendo com que os jardins fiquem lotados por alunos em busca de um banho de sol. A noite o céu é estrelado e há um grande movimento de alunos em direção a Hogsmeade por causa de uma festa que o diretor permitiu a presença destes.
AÇÕES:
- aula de aritmancia para o 7° ano
- aula de poções para o 6° ano
- festa no Pub MixysBars, em Hogsmeade




Últimos assuntos
» Bate-Papo.
Dom Jul 17, 2011 4:17 pm por Dominic Harvey

» 15 de Outubro - Noite
Seg Jun 27, 2011 11:43 am por Lucca Ragazzi

» Pegunta idiota, Resposta cretina...
Dom Jun 19, 2011 11:16 pm por Ethan Miller

» Confesso que...
Ter Jun 14, 2011 5:52 pm por William Kane

» 15/10- Estrada de Hogsmeade-Tarde
Dom Jun 12, 2011 3:28 am por Rosalie Marie Stewart

para parceria,
entrar em contato com:
hogwarts.revelium@hotmail.com

06/09 | Cemitério - tarde

Ir em baixo

06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Sex Jan 21, 2011 2:29 am


Rosalie Marie Stewart | Cemitério | Post n° 01 | Anterior: Sala Vazia
Acordei cedo com o meu despertador que tocava na cabeceira da cama. Com um tapa derrubei ele no chão o calando. Enrolei um pouco na cama, me enrolando um pouco na coberta e dando um largo sorriso. Parecia que eu ainda podia sentir o toque do Lucca no meu corpo. Queria não pensar muito sobre o assunto, mas aqueles beijos não queriam sair da minha cabeça. Aquela noite tinha sido muito surpreendente em vários pontos.
Rolei na cama e me levantei indo me trocar para minha corrida matinal. Coloquei uma roupa pratica de esportes e fui para a cozinha. Era muito cedo ainda, e o café não tinha sido servido. E sinceramente, não queria encontrar com o Lucca por enquanto, o que era muito arriscado já que eu estava na mesma casa que ele.
Por sorte consegui tomar meu café da manhã em paz, sem ser perturbada. Sai logo depois para correr pelas áreas externas de Hogwarts. Fiquei agradecida por ser sábado, assim a maior parte dos alunos ficam até tarde na cama.
A corrida foi como costumava ser, e depois voltei para o dormitório, e fui tomar um banho. Já era quase hora do almoço e eu estava disposta para ir comer em Hosmead, já que mais tarde tinha um encontro com o Lucca, se é que isso pode ser chamado de encontro.
Coloquei um vestidinho bem fresquinho já que o calor continuava alto, mesmo com o céu nublado. Peguei uma bolsa lateral e sai do dormitório, indo para Hogsmead. No caminho até lá a fome começou bater, decidi então passar antes no três vassouras para comer um lanche. Era incrível como tinha poucos alunos em Hogsmead. A maioria devia estar no jogo de quadribol entre Grifinória e Corvinal. Nunca fui muito fã do esporte, e principalmente quando o time da minha casa não estava jogando.
Comi um rápido lanche e fui para o cemitério que estava vazio no momento que eu cheguei. Aproveitei e sentei em um banco sob duas arvores grandes. Eu tinha me arrumado para isso é claro e estava também me preparando psicologicamente para ver o Lucca. Era estranho, pois não sabia o que esperar do Lucca. A noite anterior foi muito estranha e conturbada, mas no final acabou saindo bem.
Spoiler:
avatar
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Lucca Ragazzi em Dom Jan 23, 2011 6:55 am


Dormir aquela noite tinha sido praticamente impossível, a rose tinha me deixado num estado que eu só conseguir dormir depois de quatro banhos de água gelada, sim ela tinha judiado da minha pessoa onde já se viu me deixar naquele estado, sem falar que não pude deixar de sonhar com a garota e vai por mim eu acordei muito frustrado por saber que eu estava dormindo e tudo era um sonho, sim porque o sonho tava tão bom que cai da cama, e fiquei frustrado por três motivos. Primeiro; a Rose tinha me deixado daquele jeito e foi difícil eu acalmar meu ânimos, deu pra ver só na quantidade de banho que tomei, porque mal deitava e logo vinha o que tinha rolado e ... Enfim; Segundo porque quando dormi o sonho estava tão bom, mas mais uma vez fiquei na vontade e frustrado; Terceiro e ultimo, porque eu cai da cama era muito cedo e cai dói sem falar que beijar o chão não é nada bom.



Como eu vi que não ia mais dormir e estava cedo, tratei de ir fazer o trabalho que disse que daria um jeito, minha sorte que o assunto era moleza, antes tomei um banho e depois de vestido fui para a biblioteca que estava deserta. Sentado em um canto isolado. Em torno de duas horas eu fiz aproximadamente 3500 palavras o trabalho da Rose sobre poção Felix Felicis, e que se não fosse feita em um pergaminho, daria mais ou menos umas nove paginas em folhas soltas.


Com trabalho concluído, olhei vi que alguns pouco alunos que freqüentavam a biblioteca começaram a chegar o que indicava que já estava ficando cheio de mais para mim e foi bom eu ter terminado trabalho assim poderia da o fora. Foi o que fim juntei minha coisas e fui tomar café na cozinha é óbvio, tinha um elfo lá que sempre me dava atenção e me servia um belo bife bem mal passado meu preferido. Como eu tinha tempo ate encontra com a Rose, e saber disso me deixava mais ansioso que o normal , só de lembra dela eu ficava de um jeito inexplicável.


Voltei ao dormitório deixando o trabalho dela em cima da cama junto com minhas coisas, hoje não tinha condições de tocar muito menos de fazer qualquer exercício físico, concentração para isso era zero. Decidir tomar banho para ir logo entregar o trabalho da garota, tentava dizer a mim mesmo que só iria entregar isso mas no fundo minha ansiedade ia alem , afinal eu queria estar com ela, mas custava a admitir.


Não cheguei a domar muito no banho e para me vesti eu era rápido, então me pouco tempo já estava na direção de Hogsmeade, sinceramente eu estava preste a corre ate lá mas era orgulhoso de mais para dar bandeira de que queria reencontrar a garota. Assim que cheguei no cemitério, seguiu por fora do trajeto que a maioria das pessoas seguem, não demorou muito e de longe avistei a garota. E mesmo de costa para mim, eu podia muito bem citar todos os belos traços da garota mesmo não sabendo como e só tendo trocado nossas primeiras palavras na noite anterior.

Aproximei-me de vagar ate onde ela estava sentada, um banco sob duas grandes árvores. Por trás do banco me inclinei e sussurrei perto do ouvido dela .Humm quer dizer que se produziu toda assim só para me ver de novo?eu tinha uma ótima visão de onde estava principalmente do decote da garota e por Merlin, era impossível controlar os meus pensamentos, o animal que habitava em mim insistia em pensar- “minha, minha”- por mas que eu tentasse me enganar eu tava começando a perceber que ela mexia comigo mais que qualquer outra garota.Ela pareceu se assustar comigo e eu sorri permanecendo onde estava- Não se assuste!Eu disse deslizando meus lábios no pescoço dela, era praticamente impossível resistir senti o perfume dela, era como um ímã que minha atraia e do qual eu não tinha controle. Mas ainda com um pouco de sanidade que me restava eu me afastei, pulando as costas do banco e me sentando ao lado dela, bem parte de mim não queria ter parado mas outra parte uma muito pequena venceu apenas com um
argumento. Mas era difícil se controlar por Merlin sabe o quanto ela estava linda, e o quanto de força que eu fazia para não agarrá-la ali mesmos de mais de mil maneira diferentes, mas eu sabia que não ia durar muito, pois eu estava começando a mudar de idéia. –
Eu trouxe o seu trabalho, mas só vou te entregar depois das minhas boas vindas, afinal eu mereço depois do jeito que você me deixou ontem! - Dei um sorriso maroto e tirei os óculos escuros que estava usando e então olhando nos olhos dela.
avatar
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Seg Jan 24, 2011 5:21 am


Rosalie Marie Stewart | Cemitério | Post n°:02


Flashes da noite anterior não paravam de vir na minha cabeça. As cenas de brigas, os olhos do Lucca, os seus toques na minha pele. Tentava inutilmente me controlar e não pensar no assunto, mas sempre que lembrava que veria ele essa tarde, pensamentos começavam a surgir.
Tinha acordado cedo como de costume, me arrumei e fui para a minha corrida matinal. Depois de fazer um bom exercício, voltei ao dormitório, e dessa vez ia me arrumar para o meu ‘encontro’ com o Lucca. Ainda era um pouco cedo quando cheguei em Hogsmead e a fome começou a surgir. Aproveitei e comi um lanche antes de ir para o lugar combinado.
Estava vestida com um vestido estampado e fresquinho. O dia estava nublado, mas mesmo assim o calor insistia em permanecer. Um bom lugar para ir nesses dias de calor são aqueles pouco freqüentados, afinal, multidões sempre esquentam mais. E foi por isso que decidi ir me encontrar com o Lucca no cemitério.
Achei um lugar ótimo para ficar esperando por ele. Um banco sob duas grandes árvores, que faziam sombra no banco e ajudava refrescar um pouco. Sentei nele e deixei a minha bolsa ao lado, aguardando o Lucca chegar.
Estava distraída olhando as minhas unhas quando o Lucca chegou por trás de mim e sussurrou no meu ouvido: “Humm quer dizer que se produziu toda assim só para me ver de novo? ” levei um susto, afinal não estava esperando por isso. Mas depois que o susto passou, rolei os olhos e ignorei a pergunta dele. Com certeza ele entenderia que isso era um sim. Não me movi nem um centímetro para olhar para ele. “Não se assuste! ” podia jurar que ele estava sorrindo ao dizer essas palavras apenas com o tom da sua voz. Senti os lábios deslizarem pelo meu pescoço e logo a minha cabeça se encheu novamente com as imagens da noite anterior.
Com apenas um pulo o Lucca estava sentado ao meu lado. Não pude deixar de olhar ele de cima para baixo, era incrível como as coisas entre a gente podia mudar tão rapidamente. E eu ainda tentava resistir a ele, pois sabia que se não resistisse, acabaria me apaixonando por ele, o que não parecia ser uma boa idéia no entanto. “Eu trouxe o seu trabalho, mas só vou te entregar depois das minhas boas vindas, afinal eu mereço depois do jeito que você me deixou ontem! ” ele disse com um sorriso maroto se formando em seu rosto e logo depois tirou os óculos escuro e me permitindo ver aqueles olhos azuis. Fiquei perdida por alguns segundos em seus olhos antes de recuperar a consciência e sorrir para ele. Fui me aproximando lentamente, subindo a minha mão do seu abdômen para o pescoço e dando uma leve mordida em seu lábio inferior. –Oi, Lucca- Sussurrei em seus lábios e me afastei antes que ele pudesse me agarrar. –O jeito que eu te deixei ontem não é nada perto do que eu posso fazer- pisquei para ele enquanto um sorriso safado se formava no meu rosto.
O sorriso não durou muito, e logo minha expressão ficou seria, controlada e fria. Estava começando a ficar hábil em controlar minhas expressões, mesmo quando eu estava explodindo por dentro. –Mas agora eu quero o meu dever. E espero que esteja bem feito.- Disse cruzando os braços e esperando ele entregar o meu dever.
avatar
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Lucca Ragazzi em Qui Jan 27, 2011 9:13 am





Tudo ainda era muito confuso para mim, eu que sempre procurei me afastar das pessoas agora estava indo ver a Rose, no local onde ela escolherá. Algo assim poderia ate ser normal, mas se tratando de como foi a primeira conversa deles e de como tudo oscilou de brigas a beijos avassaladores. Sem falar que ela ate fez o trabalho dela, e que se fosse qualquer outro ele não ficaria preocupado com a culpa pela destruição do mesmo.


Diante de todos os acontecimentos recentes, tentava manter meu jeito e não demonstrar o quanto estava mexido com tudo, mas foi impossível quando avistei a garota, sentada no banco. Ela mexia comigo de um jeito eu não estava muito acostumado, de um jeito que eu não entendia e que era inconcebível para mim, só pelo fato de ser em tão pouco tempo e de uma maneira completamente louca. Eu detestava saber que estava assim a mercê dela, completamente vulnerável, e a única coisa que me restava era tentar não demonstra minha fraqueza.


Mas quando estava tão perto dela, perto o bastante para poder admirar como ela estava vestida e poder sussurra em seu ouvido, ali era praticamente impossível ter qualquer pensamento racional ou controle dos meus atos. Apesar de após o susto ela ignorar minha pergunta, eu sabia que aquela produção toda era para mim, afinal eu mesmo tinha resolvido usar algo melhor do que de costume, mas claro sem fugir do meu estilo.


Era obvio que eu tinha gostado de dar aquele pequeno susto nela e mais obvio ainda que tinha adorado o jeito que ela estava vestida e só Merlin sabe como aquilo me afetava. Estando tão perto dela e sentindo perfume aquilo me fazia desejar a garota de forma incomum, era quase impossível controlar minhas ações, por isso deslizei meus lábios pelo pescoço dela, queria mas era verdade mas tinha que me controlar, e me distancia mesmo que um pouco era como declara um guerra entre a razão e o desejo.


Sentado ao lado dela tentava não mostrar meu interesse, bem eu tentava não só convence ao mundo como a mim mesmo que o que eu estava sentindo não poderia significar nada mais que só uma atração, sim eu tinha medo de que tudo aquilo pudesse significar que eu estava me apaixonando e isso eu não queria e nem podia admitir. Mas como resistir? Ta ai uma resposta que eu não sabia , e naquele momento eu não conseguia me controlar, não foi a toa que eu queria um tratamento melhor para poder entregar o trabalho dela, principalmente depois de como ela me deixou na noite anterior.


Eu a observei, após tirar o óculos, com um sorriso maroto no rosto. Ela sorriu de volta para mim e veio se aproximando lentamente, senti a mão dela deslizar pelo me abdômen ate meu pescoço e ela morder meu lábio –Oi, Lucca- ela sussurrou de um jeito que me deixou louco para agarrá-la , mas para minha infelicidade ela se afastou antes que fizesse isso. O jeito que eu te deixei ontem não é nada perto do que eu posso fazer – sinceramente se ela continuasse a me provocar daquele jeito eu não iria responder por mim.- então porque não me mostra seus dotes, e ai eu posso te mostrar que sei umas coisinhas. – me inclinei na direção dela, mas a fisionomia dela mudou e aquilo me incomodou, me fazendo esquecer a idéia. –Mas agora eu quero o meu dever. E espero que esteja bem feito. – sim ela tinha o poder de estragar as coisas, porque diabos tinha que falar aquilo, eu não disse que ia entregar, e precisava me tratar daquele jeito logo quando eu estava sendo ate gentil. Era por isso que eu tinha que me controlar, mas essa mudança dela me confundia e também irritava um pouco. Levantei do banco e coloque o óculos novamente, não queria que ela percebesse que estava incomodado, ou que me importava a ponto de talvez ficar sentido.apenas a deixei perceber que a cobrança desnecessária me irritava. -Tenha cuidado com suas palavras, espero que não tenha esquecido do meu aviso! – sim eu a estava lembrando do meu alerta da noite anterior, tinha um temperamento instável, então me irritava com facilidade.-E seu trabalho esta melhor do que se fosse feito por você ou qualquer outra pessoa! - tirei o pergaminho do bolso localizado dentro da jaqueta, bolsos esse que eram enfeitiçados para facilitar poder carrega qualquer coisa. Joguei o pergaminho para ela. – Não se preocupe com a letra que você vai entender, e esta tudo bem simples ate uma criança entenderia! – Falei tirando a jaqueta e a colocando dobrada nas costa do banco. Deixei-a conferir o trabalho, minha letra era de fácil entendimento, um caligrafia refinada e bem feita ou ate mesmo artística para alguns devido a sofisticação e a elegância, ou seja, uma letra que nem todos os garotos tinham. Naquele momento preferi ficar de óculos e novamente sentei no banco, mas um pouco afastado dela, acho que a essa altura ela já tinha percebido que tinha algo me incomodando. – acho que é só isso que você queria de mim! – eu me recusava admitir que era isso que ela queria e já estava começando a decidir que assim era melhor, o quanto antes me afastasse menos confuso ficaria para mim. – acho
melhor eu ir andando !
- parei e olhei pra ela hesitando alguns segundo vendo o quanto ela estava linda, isso foi o suficiente para fazer um conflito imenso dentro da minha cabeça, parte de mim queria agarrá-la e outra parte era orgulhoso de mais para ceder.

Spoiler:


sou dramatico fato, leeh amore espero q gostee xD


avatar
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Qui Jan 27, 2011 5:01 pm


Rosalie Marie Stewart | Cemitério | Post n°03



Era complicado definir a minha relação com o Lucca. Isso é, se realmente existe alguma relação entre nós dois. Mas em algumas vezes a gente brigava feio, como se odiasse um ao outro, e em outro momento a gente estava se agarrando como se a gente estivesse apaixonado um pelo outro.
Por um lado eu realmente temia estar desenvolvendo algum tipo de sentimento afetivo por ele. Devido a sua fama não devia ser nada agradável estar apaixonada por alguém que muitos diziam não ter coração. A minha mente e o meu coração estavam entrando em conflito desde a noite passada. A minha mente dizia que não era correto e nem saudável para mim continuar vendo ele, mas o meu coração mandava eu procurar por ele e estar próxima a ele. Ou seja, tudo estava me deixando cada vez mais confusa, e mesmo assim eu insistia em ir atrás dele, estava curiosa para ver onde essa historia iria acabar.
Foi por isso que me arrumei e vim para o cemitério encontrar para ele. Podia usar a desculpa que eu queria meu trabalho, mas não era apenas esse o motivo, eu queria ver o Lucca novamente e isso era o que mais mexia comigo. Estava sentada em silencio em um banco quando o Lucca chegou me dando um susto. Não fiquei muito irritada por ele ter me assustado, afinal era bom ouvir a voz dele novamente. Claro que ele não perdeu a oportunidade de me dar um beijo no pescoço, o que me levou a duas conclusões: ou ele estava me testando, ou queria me provocar mesmo.
Ele estava agora sentado ao meu lado e queria um tratamento especial depois de como deixei ele na noite anterior. Fitei-o um pouco quando ele tirou o óculos escuro e depois de um tempo me aproximei dele. Deslizando a minha mão pelo seu corpo, dando-lhe uma mordida no lábio inferior e depois sussurrando em seus lábios: –Oi, Lucca- me afastei rapidamente dele antes que ele pudesse me agarrar ali. –O jeito que eu te deixei ontem não é nada perto do que eu posso fazer—disse em resposta ao comentário dele com uma piscadela. “então porque não me mostra seus dotes, e ai eu posso te mostrar que sei umas coisinhas.” Ele se inclinou na minha direção e a minha fisionomia ficou seria e fria, fazendo ele recuar no mesmo momento. –Mas agora eu quero o meu dever. E espero que esteja bem feito.- disse cruzando os braços e esperando ele me entregar o trabalho. Mas não deixei de notar que ele pareceu não gostar muito da minha atitude, o que me agradou profundamente. Para ser sincera... eu tinha gostado de provocar ele. Ele levantou do banco e colocou os óculos escuro, antes de me dirigir a palavra: “Tenha cuidado com suas palavras, espero que não tenha esquecido do meu aviso! sorri internamente enquanto por fora a minha expressão era a mesma. –Não esqueci.- disse secamente ates que ele voltasse a falar. “E seu trabalho esta melhor do que se fosse feito por você ou qualquer outra pessoa!” levantei uma sobrancelha de desconfiança para ele, mas não podia negar que ele tinha um credito maior já que estava um ano na minha frente. Ele tirou o pergaminho do bolso interno da jaqueta dele e jogou para mim. Peguei-o e comecei analisar o que ele tinha feito. “Não se preocupe com a letra que você vai entender, e esta tudo bem simples ate uma criança entenderia!” a letra realmente me surpreendeu por ser tão bem feita, principalmente feita por um menino. Mas o comentário que estava tudo bem simples não me agradou nada, fiz uma cara feia para ele desaprovando esse comentário. Afinal, poções era minha matéria favorita e eu não tinha dificuldade de entender nem as poções mais difíceis. “acho que é só isso que você queria de mim!” ele disse depois de sentar novamente no banco, mas dessa vez um pouco mais afastado. Continuei em silencio enquanto lia o dever que ele tinha feito. “acho melhor eu ir andando !” mal tinha escutado o que ele tinha falado, mas quando notei ele já estava começando a andar para longe de mim. Larguei meu dever de lado e fui atrás dele. Não tinha agradecido o trabalho e eu podia ter muitos defeitos, mas não era mal educada. –Lucca, espera!- disse segurando a mão dele para fazê-lo parar de andar e me ouvir. –Não acho que eu tenha te agradecido pelo dever.- aproveitei que ele estava agora de frente para mim e me aproximei lentamente até nossos lábios se encontrarem. Assim como tinha acontecido antes flashes da noite anterior surgiram na minha mente e aquele beijo deixava tudo mais vivo na minha cabeça. Deixei me envolver por um beijo calmo, suave e quente, muito diferente dos da noite anterior. Afastei dele um pouco depois de um tempo e com um sorriso no rosto. –Obrigada, o dever ficou muito bom. – estava realmente agradecida por ele ter feito tão bem, afinal não era obrigação dele, mesmo que ele fosse o culpado por ter destruído meu trabalho antes.
Spoiler:
maals se ficou muito grande... é que eu me empolguei xD
avatar
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Lucca Ragazzi em Seg Jan 31, 2011 6:24 pm


Nunca imaginaria que seria preciso apenas uma noite para eu ver minha vida completamente de cabeça para baixo. E tudo graças a Roses que despertava em mim sentimentos que me deixavam completamente confusos e fora de mim. Pois ela não só me tirava do serio, mas também fazia com que eu sentisse um desejo incontrolável quase que possessivo por ela.


Por mais que eu tentasse não aceitar ou admitir que eu estava indo encontra a Rose, não só para lhe entregar seu dever de poções mais também para poder revê-la. E quando a vi foi quase impossível conter aquele estranho sentimento de posso e desejo, que fazia meu corpo e querer beijá-la, me contive em beijar-lhe o pescoço, mas queria mais, porem eu lutava uma batalha interna praticamente impossível de ser ganha. E com bastante dificuldade me afastei dela, mas ainda pedia por um tratamento especial depois de como ela tinha me deixando.


Posso dizer que ganhei uma recepção especial que não durou muito tempo mas me deixou com vontade de mais. O pior foi ver a expressão fria dela que me faz recuar e simplesmente, não por medo e sim por frustração. Afinal de contas o que essa garota queria comigo me deixar maluco? Uma hora me provocava no outro acabava com o clima e me tratava friamente. Aquilo me deixara com raiva, e pelo simples fato do meu humor instável foi que comentei que esperava que ela não tivesse esquecido o que eu tinha dito a ela na noite passada.


–Não esqueci.


O tom seco dela ticou ainda mais minha frustração e eu tive certeza que meu lado animal simplesmente ficou furioso, odiando aquele tom dela. Então parecia claro que se continuasse ali as coisas não ficariam feias, afinal eu estava me irritando só pelo jeito dela me tratar. Mas afinal se eu não estava gostando dela porque diabos eu estava tão furioso? Bem preferi deixar de lado minhas frustrações e entregar logo aquele maldito dever, e assim fiz joguei para ela o pergaminho assim que tirei do bolso.


Fiz uns alguns comentários sobre o trabalho e uns dos quais ela não gostou muito e fez ate cara feia, devido a forma com falei e minhas insinuações. Mas mesmo sabendo que a garota era inteligente queria simplesmente descontar minha raiva. Ela estava tão concentrada naquela maldita atividade que estava começando a me arrepender de ter feio, bem pela primeira vez falta de atenção me incomodava, antes eu que preferia mil vezes que ninguém prestasse atenção em mim parecia querer atenção logo daquela garota. E me senti um completo idiota, falando que era melhor eu ir andando já que ela não precisava mais de mim.


É estava começando a querer muito algo que parecia não esta nem ai para mim, é acho que o que eu mais temia tinha acontecido. E antes que eu voltasse a agir como um bobo, me levantei e sair andando. Me recriminava a todo momento pensando o quanto eu era idiota e que era melhor daquele jeito.Foi quando eu ouvi a voz dela. –Lucca, espera! – Era como musica no meu ouvido, mas me mantive minha decisão de não parar e continuar andando, mas as mãos dela me deteve ao segurar a minha, e como que instantaneamente eu parei e me senti de um jeito estranho, odiava o efeito que ela estava tendo sobre mim, cadê o Lucca de antigamente? Tai algo que eu queria saber. Me virei mantendo minha fisionomia seria, tentando não demonstrar o efeito que ela tinha sobre mim. – o que foi? – falei um pouco ríspido mantendo meu tom de voz. Mas ali foi difícil não demonstrar minha frustração, o que mandava para o brejo toda minha tentativa anterior de mostrar que não me importava. Naquele momento só me restava esperar que ela não tivesse percebido. –Não acho que eu tenha te agradecido pelo dever.- olhei para ela sem reação inicialmente, afinal o que ela queria de mim? Uma hora parece não se importa na outra vem com esse jeitinho doce que me desarmou por completo e me fez observar o que ela iria fazer. E logo ficou bem claro quando nossos lábios se uniram em um beijo calmo, mas que fazia eu me sentir em brasa, a envolvi de um jeito possessivo e a desejei como minha, única e exclusivamente minha. Quando ela se afastou pouco de mim e sorrio, naquele momento eu percebi que era tarde de mais, eu já estava ligado a ela. Não sabia como, nem quando tinha deixado isso acontecer, mas ali eu via o quanto eu a queria. –Obrigada, o dever ficou muito bom. – eu sorri e toquei o rosto dela deixando minha mão deslizar pela pele dela descendo em direção ao pescoço e subindo novamente –De nada!...-continuei o carinho no pescoço dela, e devo admitir que poderia ficar o dia inteiro daquele jeito.- ... Me diz uma coisa.! – parei as caricias e me inclinei deixando para sussurra no ouvido dela – porque faz isso comigo!?! – deslizei a mão que antes lhe acariciava o pescoço pelas costas dela em quanto falava ate a coxa da garota. Esta bem talvez eu tivesse me excedendo, mas gente no meu lugar saberiam que é quase impossível não ceder aos meus instintos e desejos. - Gosta de me ver sair da linha!?!hum?- inevitavelmente deixei escapar um sensual ronronar por puro instinto, antes de ficar a morder delicadamente o pescoço dela.
avatar
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Rosalie Marie Stewart em Sex Fev 04, 2011 10:41 pm


Rosalie Marie Stewart | Cemitério | Post n°:04
Já estava ficando difícil negar que não sentia nada pelo Lucca. Aquele menino estranho, temido por muitos, sempre fechado e que parecia não ter coração mexia muito comigo. De tal forma que eu precisava me controlar quando estava perto dele. Podia notar também a forma que ele me tratava e com certeza não era de uma pessoa sem coração como muitos diziam. Lucca era um bom cara, apenas usava uma capa de mal para se proteger e talvez eu fosse a única que tivesse notado isso.
Tinha acabado de receber meu dever de casa feito de uma forma impecável. Sinceramente, não esperava que fosse receber dessa forma, principalmente por ter sido feito por um menino. Mas até a caligrafia estava perfeita. Estava tão absorvida pelo dever que mal tinha escutado o que ele tinha me falado e quando percebi, ele já estava indo embora. Deixei meu dever de lado e fui atrás dele. –Lucca, espera!—Disse segurando a mão dele, impedindo que ele continuasse andando. Ele se virou com a fisionomia séria, me deixando um pouco preocupada. ele havia feito meu dever e eu tinha sido muito rude com ele. “o que foi? ele disse rispidamente mantendo o tom de voz. Sabia que não tinha sido gentil com ele antes e que merecia esse tratamento, mas mesmo assim não era agradável. –Não acho que eu tenha te agradecido pelo dever.- Agradeci da melhor forma que eu consegui pensar no momento. Dei-lhe um suave, calmo e quente beijo. Deixando me envolver por completo por ele. Agora já era tarde demais para negar que não estava ligada a ele. Existia algo entre nós que era difícil de entender e explicar.
Afastei-me um pouco dele e sorri. –Obrigada, o dever ficou muito bom. – Ele sorriu de volta para mim e começou acariciar meu rosto, descendo até o pescoço e voltando para o rosto. “De nada!... era incrível como ele conseguia mexer comigo com apenas um toque. ... Me diz uma coisa.! Ele parou as caricias e inclinou, sussurrando no meu ouvido: porque faz isso comigo!?! deixei escapar um sorriso malicioso quando ele descia a mão que estava no meu pescoço até a minha coxa. Gosta de me ver sair da linha!?!hum? aproveitei que estávamos próximos e sussurrei em seu ouvido também, enquanto ele dava leves mordidas no meu pescoço. –Adoro te tirar da linha!- Mordi levemente sua orelha e em seguida seu queixo. –Mas acho que devíamos ir indo... logo vai escurecer e eu não quero pegar detenção por não voltar de Hogsmeade.- Sorri para ele e me afastei, voltando para o banco onde tinha deixado minhas coisas. Eu tenho o péssimo defeito de sempre quebrar o clima, mas tinha um motivo para isso. Temia em que pudéssemos chegar se o clima não fosse quebrado. E por alguma razão eu ainda tentava lutar contra o que sentia pelo Lucca.
avatar
Rosalie Marie Stewart
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 38

Ver perfil do usuário http://www.graphicsland.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Lucca Ragazzi em Qua Fev 09, 2011 8:48 am




Sempre evitei qualquer tipo de contato com as pessoas, era assim desde que as coisas mudaram na minha vida. E tudo o que eu queria era manter as pessoas afastadas porque simplesmente não confiava nelas , eu como ninguém conhecia a natureza do ser humano, por vários motivos que podia muito bem citar, mas os principais; era o fato de eu ser o que era, outro pela minha historia de vida, tinha um pai que estava preso pois matou a mulher e por pouco não matava o filho e que me odiava mais que tudo, também tinha meus avós maternos que apesar de me tratar bem sempre que me vem lembram de que a filha perdeu a vida por minha causa e que eles tinha ainda que conviver com uma monstro. Então o que me restava? Tentar me encaixar ou vive com minha besta? Optei pela segunda, preferia viver como eu sou do quer, do que ser apenas mais um que tenta se encaixar sendo quem não é , nessa droga de vida.

Mas por alguma razão, da qual eu ate aquele momento não fazia idéia do que significava, eu deixei a rose se aproximar, abaixei minha guarda porque simplesmente ela me fazia sentir coisas dais quais nunca senti antes, e eu não conseguia pensar direito. Foi exatamente assim naquele momento, já estava indo irritado, ou melhor, dizendo frustrado, pois alem de desejá-la também queria a atenção dela mais do qualquer outra coisa no mundo. Entretanto Merlin parecia conspirar contra mim, me fazendo não entender quais as intenções dele para mim, o fato era que ali decide me afastar de vez, mas foi apenas ouvir a voz dela sentir o toque e os lábios dela nos meus , que me fez mudar de idéia e perceber que talvez eu estivesse apaixonado, bem talvez o caramba, eu realmente tava apaixonado,era só olhar para mim, o jeito que ela me atraia, como eu gostava do som da voz dela, Por Merlin eu tinha me vestido super bem só para encontrar ela , onde ao longo dos anos eu teria feito isso para agradar uma garota ou qualquer mulher que fosse, eu não fazia nem quando me pediam, mas ela não sei o que tinha dado em mim mas para ela, eu queria esta bem queria causar uma boa impressão, queria ser aceito, queria que ela fosse minha.


Depois daquele beijo eu diria que estava completamente desarmado, tinha talvez me transformado em uma outra pessoa ou melhor dizendo , eu estava mostrando um lado que não costumava mostrar a ninguém, era só ver o jeito que eu a tocava e o quanto eu estava adorando aquilo. Mas eu não pude me conter e quis saber o porquê dela mudar tanto de uma hora para outra, porque ela gostava de me provocar, eu sabia que ela gostava d me ver perder a linha. E o fato de estar tão perto dela me fazia desejá-la de um jeito intenso e quase que anormal, junto a ela eu cedia completamente aos meus desejos. –Adoro te tirar da linha! – arfei ao escutar a voz dela sussurrando em minha orelha e ao senti ela morde levemente minha orelha e logo depois meu queixo , meu corpo rapidamente respondeu desejando ainda mais a garota. –Mas acho que devíamos ir indo... logo vai escurecer e eu não quero pegar detenção por não voltar de Hogsmeade .- Ela falou se desvencilhando de mim com aquele jeitinho dela que me deixava inda mais louco e novamente ela estava a me jogar água fria mas não iria deixar. Eu a troce de volta pra mim assim que ela se virou para ir pegar as coisas dela. – Uma detenção vale a pena se nos atrasarmos por um bom motivo...– disse com uma certa malicia, ali tinha esquecido totalmente que essa noite em particular deveria escutar ela, mas minha mente estava tão focada nela que pensar em qualquer outra coisa era impossível. - a propósito... – falava em quando beijava o ombro dela – ...você esta realmente linda... eu adorei esse vestido...-uma das mãos dele passeava pelo corpo dela ate que parou no zíper do vestido abrindo uns milímetros – e bem acho que tenho uma ótimo motivo para pegarmos uma detenção! - Sabia que ela entenderia, e vi que ate ficou tentada a minha proposta, mas se manteve irredutível, o que me frustrava um pouco , porque mais uma vez ela me deixava daquele jeito, e eu sei o quanto teria dificuldades para dormir. Infelizmente só me restava voltar, já que já estava escurecendo, começamos a voltar depois dela pegar as coisas dela, tentei aproveitar o máximo pra provocara garota, a verdade que não consegui deixar ela longe de mim, então fazia questão de te-la envolvida em meus braços quando caminhávamos.


avatar
Lucca Ragazzi
Slytherin
Slytherin

Mensagens : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 06/09 | Cemitério - tarde

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum